Polícia Civil investiga desaparecimento de assistente social servidora da Prefeitura de SP

Reprodução reportagem G1


Segue o link para participar do grupo de whatsapp do FAS-SP esse grupo destina-se apenas para aqueles que desejam receber notícias da Executiva do FAS somente os ADM podem publicar nele. Evitando assim a quantidade gigantesca de mensagens . Basta clicar e participar!



Polícia Civil investiga desaparecimento de assistente social servidora da Prefeitura de SP

Márcia Martins Miranda é coordenadora do CREAS Butantã, na Zona Oeste da cidade. Ela foi vista pela última vez na manhã de terça-feira (2), quando saiu de casa para ir ao trabalho.


Por Lívia Machado, G1 — São Paulo

04/10/2018 19h51 Atualizado há 1 hora





Polícia investiga desaparecimento de assistente social — Foto: Reprodução/Facebook



A Polícia Civil investiga o desaparecimento de uma assistente social, servidora da Prefeitura de São Paulo.


Márcia Martins Miranda é coordenadora do CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) do Butantã, Zona Oeste da cidade.


À polícia, parentes relataram que ela foi vista pela última vez na manhã de terça-feira (2), na região da Avenida Corifeu de Azevedo Marques, após sair de casa para ir ao trabalho. A servidora tem 41 anos, é casada, mãe de duas crianças pequenas.


O CREAS atua na assistência a usuários da proteção especial - famílias e indivíduos que vivenciam violação de direitos, dentre eles a violência física, psicológica, sexual, situação de rua, cumprimento de medidas socioeducativas em meio aberto.


Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), nesta quinta-feira (4), o marido e o irmão de Márcia foram ouvidos, além do motorista da unidade do CREAS em que ela trabalha.


Ainda de acordo com a SSP, foram feitas pesquisas nos bancos de dados da Polícia Civil e requisitadas imagens das câmeras de monitoramento do banco onde a vítima teria ido na data do desaparecimento.


Em nota, a Prefeitura de São Paulo diz que a Divisão de Localização Familiar e Desaparecidos, da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, e a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social "estão cientes do fato e cooperam com a investigação da Polícia Civil".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito obrigado pelo seu comentario